02/08/2017

Patchwork

...que é como quem diz, um trabalho feito com retalhos dos meus dias...
Dei um corte radical no cabelo, ando mais leve e pareço um tudo-nada a Fada Sininho... Gosto e recomendo.
Estourou o mês de Agosto...e pontualmente, como uma praga anunciada, cá estão as multidões na rua, que se cruzam e roçam e cumprimentam ruidosamente, enquanto os carros fazem fila e se estacionam sobre os passeios e em segunda fila. Fazem-me pecar, tantas são as pragas que rogo...
Um casal Austaliano de visita a Portugal confessa-me, emocionado, que chorou ao ver os nossos castelos com quase 1000 anos, porque em comparação a história do seu país é tão recente. A senhora sofre de uma doença que a fará cegar em breve e emociona-se perante o privilégio de poder olhar coisas que vêm de tempos tão longínquos.
Comi uma maçã enquanto olhava a relva e dei por mim a pensar naquelas coisas científicas complicadas que ouvi acerca das cores e de como a luz e os diferentes espectros de cor que a constituem são absorvidos pelos objectos, com excepção da onda de cor que não existe nelas... Ou seja, a relva verde é, na verdade, tudo menos verde. Tentei imaginá-la roxa ou azul.
Uma pessoa aproveitadora e mesquinha diz ser vítima de violência, quando o (ex)companheiro tenta abordá-la repetidamente para tentar reaver o dinheiro que lhe foi "subtraído" da conta (para eu não estar aqui a usar a palavra "roubado").
Cada vez me irrita mais a ridicularice jornalística, de ir para o meio de cenários de incêndio, a respirar fumo e faúlhas ardentes e a enfiar os microfones no nariz de bombeiros exaustos e apressados.
Também me irrita cada vez mais levar com publicidade ou, como se chama em linguagem técnica, "colocação de produto" no meio dos episódios da nossa ficção da treta.
Matriculei-me num Mestrado.
Sinto em mim uma renovada adoração pelos Red Hot, depois de ter assistido ao monumental concerto... Por Deus, eu estive sob o mesmo teto que eles! Até estou a reler a infame autobiografia do Anthony Kiedis pela segunda vez...
E pronto. É esta a actualidade local do Sistema Brisar. Para quem ainda não conhece, é o Sistema do qual Briseis é o centro.

6 comentários:

  1. Um sistema que me parece em tudo recomendável.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não se deixe enganar, Pedro! É governado com punho de ferro por uma tirana... =)

      Eliminar
  2. Juntámos e fizemos uma mantinha muito bonita para os dias frios que aí virão. Virão porque certo parece que temos cada vez menos coisas.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hum... Uma mantinha feita de desabafos sobre a miséria humana, não parece ser capaz de aquecer lá muito. Hihihi =)

      Eliminar